Os meus mais graves problemas de primeiro mundo

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Eu costumo dizer que não podemos comparar os nossos problemas com os de toda a gente, porque senão, qualquer maleita que nos assalte ou toque que nos dêem no carro se transforma numa insignificante vergonha perante fome, destruição, exílio e diversos outros sofrimentos humanos que povoam a espécie.

Portanto, o ideal, é ficarmo-nos pela nossa realidade e podemos assim gozar os pequenos sofrimentos que, hoje em dia, é comum chamar de “problemas de primeiro mundo”. Aqui vão os meus mais frequentes.

Meto-me na cama em pleno inverno, de calças de pijama e, quando me aconchego no edredão de penas, as pernas das calças sobem até ao joelho. Não quero ter que me levantar para as puxar para baixo, portanto tento infrutiferamente usar os dedos dos pés. :(

Tenho uma enorme vontade de jogar Grand Theft Auto e comer Lay’s Gourmet e não tenho Lay’s Gourmet. :(

Tenho muitas séries para ver, alojadas na minha Synology, que faz stream em alta definição para o iPad Air, mas não tenho tempo para as ver. :(

O Raspberry Pi não faz output de áudio por fibra óptica e o meu amplificador não tem HDMI. :(

Os retrovisores do meu carro não recolhem electricamente. :(

Nunca sei qual de inúmeros hobbies hei-de praticar e acabo por passar o meu pouco tempo livre agarrado ao Facebook. :(

Tenho 11 mil músicas no iTunes Match e há alturas em que vou no carro e o shuffle não me dá nada que me apeteça ouvir, portanto vou fazendo skip com o comando no volante e acabo por chegar a casa sem ter ouvido uma única faixa completa. :(

Quero uma PlayStation 4, mas ainda tenho vários jogos que quero jogar na 3. :(

Às vezes, quando vou correr com o iPhone a tocar música, o cabo dos phones incomoda-me. :(

O ar condicionado cá de casa faz algum barulho e às vezes fico sem saber se prefiro silêncio ou o quarto quentinho em noites de inverno. :(

Quando vou no comboio há um troço da viagem que dura uns bons 40 ou 50 segundos em que passo num túnel e fico sem rede. É insuportável. :(

Algumas encomendas da Amazon chegam a levar três ou quatro dias a chegar. :(

Apetece-me ver um filme, mas não tenho paciência para ligar o plasma, o amplificador e o media player. :(

Quero beber um café, mas a máquina está cheia de cápsulas e como não me apetece vazar o depósito, tento forçar mais uma cápsula na mesma. Mas não dá. :(

Gosto muito de jogar GranTurismo com o volante e os pedais, mas montar tudo e por o jogo a correr demora quase 3 minutos. :(

Às vezes, o restaurante onde almoço todos os dias tem dois pratos que me apetece comer e tenho que optar por um. :(

A iluminação do meu rato Razer não condiz com a do meu teclado SteelSeries, nem com os LEDs do meu interface de áudio Focusrite, têm todos cores diferentes. :(

Tenho uma lanterna de alumínio muito porreira, mas nunca falha a electricidade. :(

Às vezes compro um Big Mac e fica-me a apetecer um CBO e outras vezes vice-versa, mas o dramático mesmo é que não tenho um Burger King a 100 metros de casa. :(

Algumas noites esqueço-me de colocar o Withings Pulse em modo de sono. :(

Escrever listas de coisas na internet dá demasiado trabalho. :(

Tags

Deixar comentário. Permalink.

12 comentários a “Os meus mais graves problemas de primeiro mundo”

  1. hugocardoso says:

    Realmente não é fácil e todos temos os nossos guilty pleasures e momentos de dolce fare niente. Excelente lista.

  2. Andre S says:

    Engraçado como os geeks partilham o mesmo tipo de dificuldades no dia a dia. :D

  3. Dextro says:

    Apetece-me ver um filme, mas não tenho paciência para ligar o plasma, o amplificador e o media player.

    Logitech Harmony costuma resolver isso :P

  4. faa says:

    pah, isto está mesmo grave!

    o meu problema com o grandturismo é que gosto muito de jogar, ter bué carros mas entretanto as corridas são estupidamente longas e perco a paciência.

    agora o meu maior problema é que quero começar a ver umas nove séries, tenho uma watchlist com 154 filmes, tenho final fantasy xiv, diablo 3, fifa 14 e o killzone da ps4 para jogar e só tenho três horas por dia para usar nisto e claro, não esquecer que tenho vida social.

    eu ainda vou jogando no euromilhões a ver se o ganho para ver se posso deixar de trabalhar.

  5. artur says:

    Só hoje li isto e fartei-me de rir! Tirar uma boa lanterna e nunca faltar a luz! Sei bem o que isso é! Por isso, comprei uma lanterna mesmo muito boa, tipo CSI e agora vejo a garganta a todos os meus doentes, mesmo que se queixem de pé de atleta!

  6. artur says:

    Tirar, não – ter! ter uma boa lanterna…

  7. PiNaS says:

    Às vezes, quando vou correr com o iPhone a tocar música, o cabo dos phones incomoda-me. :(

    Tenho solução para isto e que básicamente consiste em enfiar a t-shirt com os phones nos ouvidos e o leitor mp3 já preso ao braço. Assim o cabo não anda tão solto e não incomoda.
    Ainda podes tornar o cabo menos incomodativo se, com um pequeno quadrado de adesivo o prenderes no “cachaço” assim podes mover a cabeça livremente sem sentires o peso dos phones nos ouvidos.

    Ajudou ? :)

  8. StarMan says:

    Como se têm portado o Pioneer PDP-435HDE ao fim de quase 10 anos de uso? Se tivesses comprado uns anos mais tarde já terias a opção dos Pioneer Kuros, os quais eram as melhores TVs de sempre até terem surgido as VT60 e ZT60 da Panasonic em 2013.

Deixar um comentário

Redes de Camaradas

 
Facebook
Twitter
Instagram