Da boca de quem sabe

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Recebi um comentário nos meus posts sobre os problemas com o metro em Almada que acho que merece ser promovido a post. Mantenho por razões mais do que óbvias o anonimato do autor, mas aqui fica o que nos tem a dizer um condutor da MTS:

Boas.
eu sou condutor do metro e achei interessante este teu site entao decide responder(como disse um grande pensador”o metro nao é meu nem do meu pai por isso”nao o devia defender e nem tenho essa intençao)o metro que avariou e foi rebocado nao descarrilou por ter sido empurrado com muita força como disseram porque nem é possivel quando se faz uma manobra destas sao accionados mecanismo que controlam a velocidade o que se passou é que o material nao tem tido manutençao avariam porque partem pantografos que ja deviam ter sido substituidoss ha muito que foi o caso deste mas o veiculo que o foi rebocar tambem nao estava condiçoes o problema aqui nao é dos condutores mas sim dde quem manda na empresa nao esta a cuidar da mesma mas esta sim numa de “deixa andar”se repararem ate ha veiculos como vidros do condutor partidos e nao os trocam o que apresenta um grande perigo para o condutor no entanto ja houve colegas que se recusaram a sair com aqueles veiculos e foram mandados para casa com um dia descontado no ordenado, mais ha mais de 2 meses que o sistema de radio e de informaçoes esta avariado logo nao ha informaçoes para as pessoas nem nos sabemos o que se passa o que é uma vergonha.
relativamente aos condutores avisarem as pessoas… nos por vezes fazemos mas chega uma altura que nao da porque para nos esta situaçao é uma vergonha ha atrasos, avarias todos os dias as pessoas reclamam com os condutores com razao!mas imaginem acordarem as 3:30 da manha começarem o serviço as 4:30 e so acabarem as 15:00 com serviços de 8 ou mais horas de trabalho dentro de cabines onde nao existe qq janela onde por vezes o ar condicionado nao funciona e onde ou faz muito frio ou muito calor sem comunicaçoes radio porque estao avariadas como disse ha mais de 2 meses a passarem nos carros a frente e pessoas constantemente se respeitar o metro e tentar evitar acidentes porque se formos obrigados a efectuar frenagem de emergencias os passageiros vao ao chao a andar sempre com atrasos a ouvir reclamaçoes ha ouvir bocas piadas a fazerem sinais obscenos (os jovens)a fumarem dentro do metro a beberem a saltar nos bancos a trancar as portas a puchar manipulos de emergencia e tudo isto e muito mais so para ganha 690 euros… meus amigos é muito complicado nao da mesmo vontade de falar com ninguem…
no entanto acho que todos aqueles que estiverem insatisfeitos escrevam no livro de reclamaçoes todos os dias nao custa nada nao vale a pena mandar mail para o mts….
cumprimentos

Tags

Deixar comentário. Permalink.

9 comentários a “Da boca de quem sabe”

  1. Nelito Carrapito says:

    “Sr. condutor, por favor, meta o pé no acelarador, se bater não faz mal, vamos todos para o hospital, hospital de S,.Maria que é uma grande porcaria.”

    Só me apetecia cantar esta canção depois de ter lido este texto todo sem uma vírgula.

    Pois, eu já me queixei no livro de reclamações, e hoje reparei que tinham voltado aos ´placards´ do metro o tempo estimado para o próximo comboio. Será um sinal de melhoria?

  2. Isa says:

    Uma coisa que ele falou e que aconteceu esta manhã.. o metro ia começar a subir a afonso henriques, ainda havia gente de pé à procura de lugars..alguem atravessou-se na linha e o condutor fez alta travagem..por sorte ninguem foi parar ao chão, mas foi um valente safanão.. :P

  3. jorge says:

    e , ou eu me engano, ou a situação tenderá a piorar , pois com o buraco financeiro que aquilo gera não vai haver dinheiro para manutenções.

  4. goncalo says:

    No outro dia, salvo erro quarta-feira o metro esteve parado durante 30 minutos de manhã entre as 8:00 e as 8:30 sem qualquer explicação por parte dos funcionários.
    Posso-vos dizer que graças a isso 50% dos alunos da minha escola faltaram á primeira aula da manhã. É uma situação que se vem repetindo e que só deixa as pessoas descontentes.
    Em vez de gastarem dinheiro em fiscais para tentar ganhar dinheiro com multas de 60 e tais euros, se apostassem o dinheiro desses ordenados em criar condições para o metro circular sem entraves e avarias é que era de valor.
    Basta ir ao metro de lisboa para nem ter saudades do metro de almada, é uma vergonha.

  5. says:

    Hmm.. Eu ganho (uns miseráveis?) 600€ para estar 8h de pé por dia, a atender “público” muitas vezes chato, difícil, ou simplesmente idiota. Onde é que eu entrego a minha candidatura para estar sentado num banco (com um casaquinho de reserva para o frio) e não falar com ninguém por 690€?

  6. Edgar Durão says:

    Nunca utilizei por isso não posso comentar muito, contudo fiquei algo supreendido no outro dia quando recebi o email com a resposta do condutor na thread original, o que me deixou algo preplexo, mas não era nada que não soubesse já, ou pelo menos adivinhasse.

    Basta ver a confusão que foi este projecto arrancar.
    Relativamente aos fiscais, são necessários. Em Março vinha de Santarém na CP, e ali mais ou menos na zona da AZambuja vinham uns fulanos a falar do MTS. Diziam eles que nunca tinham pago um bilhete nem o iriam pagar, chegavam lá e entravam, dado que não havia nenhum controlo. Enfim… é isto correcto? O Xico esperto abusa e todos nós é que pagamos as facturas?

    Já o comboio da Ponte é o mesmo. Não há um controlo eficaz de quem têm ou não bilhetes…. imagino quantos não têm. EU próprio raramente passo nas máquinas, apesar de ter passe válido: a verdade é que é sempre mais rápido passar nos canais abertos – os sistemas por vezes não leêm o cartão Lisboa Viva, por vezes não funcionam. Só passo por lá de vez em quando para me recordar da validade do passe.

    E quantas pessoas não se esqueceram já de comprar o passe e bilhetes por esta falta de controlo? Porque não apostarem de uma vez por todas num sistema igual ao do Metro de Lisboa?

    Já nem vou falar do parque do comboio, porque aquelas máquinas de entrada e saída no parque são uma anedota. O funcionamento delas é no minimo caricato. Por vezes com um passo novo a sair dá sempre erro de leitura. Em regra já me habituei… se tenho erro de leitura numa, no restante tempo do mês uso a do lado. É habitual erros de leitura, cancelas que não abrem, filas de vários carros, enfim…. de leitores que nem estão no exterior, por isso não apanham chuva. Se os do auto-silo são assim, imagino os leitores de cartões do parque exterior.

    Claro que em plena época com Lisboa Viva em todo o lado, ter ainda um cartão magnético para o parque do carro é do melhor…. Talvez alguém leia isto e possa “empurrar” a engrenagem.

    Enfim… desabafo de Domingo

    • É verdade, a mim já no ML me chateia quando percebo que alguns espertalhões estão a passar colados a outro passageiro, para não usarem o bilhete, mas apesar de tudo o sistema vai funcionando.

      Quando comecei a usar a Fertagus fiquei surpreendido com a liberalidade das passagens, mas no MTS existem de facto fiscais e eu percebo o comentário mais acima: é que são verdadeiros pelotões. Chegam a estar seis ou sete numa estação, com os seus coletes fluorescentes e não são funcionários do metro, mas sim seguranças da SOV, alguns com ar de quem está prestes a desancar os passageiros que não lhe agradem.

      Compreendo a necessidade de fiscalizar e garantir a segurança, juntar os dois num talvez seja uma forma inteligente de gerir a coisa, mas ao mesmo tempo às vezes um gajo sente-se meio intimidado pelo batalhão de “picas” :-)

      • Edgar Durão says:

        Pois é verdade, já vi dessas situações também. Gente a querer colar-se para passar.
        Comigo não se colam mesmo, que dificulto-lhes a vida. Não vou protestar, mas também não lhes vou facilitar.

        Já em tempos quando “apanhei a panca” de andar na Carris vinha de Entrecampos para a Andrade Corvo, e ali no Campo Pequeno entrou uma senhora. Só me apercebi do que se passava após alguns pedidos da senhora para lhe abrirem a porta de trás que queria sair e tal, quando entraram os fiscais…. Bem vi de tudo: desculpas o mais esfarrapadas possiveis, chorou, berrou, gritou com os fiscais, no fim mandou-se para o chão a fingir que desmaiou. Claro que tal comoveu muitos: “á… porque não a deixam ir?”. Os fiscais explicaram a algumas pessoas que não podiam fazer quase ia havendo um motim contra eles. Ainda bem que saí na AC, e parece que a policia os ia esperar ao Marquês para identificar a pessoa.

        Não percebo porque pactuam as pessoas com estes comportamentos, especialmente quando são eles os responsáveis pela subida de preços (se muitos usam e poucos pagam, sai do bolso de alguém).

        Mais me espanta ainda a atitude dos que o fazem. Por algum motivo acham sempre ser mais espertos que os outros.

Deixar um comentário

Redes de Camaradas

 
Facebook
Twitter
Instagram