Macacos sem galho

Cozinhas e outros detalhes

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Depois de muito ponderarmos, tirarmos medidas, olharmos para catálogos e fazermos contas, optámos por uma cozinha à medida em vez de uma pré-fabricada da Ikea.

Hoje passámos “na obra”, para receber os novos electrodomésticos e estava lá o empreiteiro e pouco depois apareceu o fabricante da cozinha.

Nunca tinha visto tamanho entusiasmo por cozinhas. Discutimos o desenho que tínhamos feito dos móveis, o que dava e não dava para fazer e fizemos algumas modificações.

Haviam alguns erros no meu desenho, porque não tinha folgas adequadas e sobretudo porque não previa espaço suficiente para abrir a porta do frigorífico que pretendemos comprar.

Também vimos uma amostra de uma porta para decidirmos se queremos aquela cor e queremos. A cor é vermelho, já agora. Também acabámos por optar pelos interiores dos armários em cinza em vez do tradicional branco.

Ficámos apenas na dúvida se vamos para móveis pretos em baixo e vermelhos em cima, ou se fica tudo vermelho.

Isto porque o chão e as bancadas vão ser em granito preto, as paredes brancas e os móveis vermelhos, muito tipo… vá… isto:

The White Stripes

Ainda vamos a tempo de decidir se fica tudo vermelho ou se pomos também preto nos móveis. Entretanto, o plano para a cozinha é este, mas ainda sem as correcções que fizemos hoje:

Cozinha, bancada principal

Cozinha, bancada secundária

Depois de mais uma série de detalhes acertados, na casa, fomos almoçar ao Forum e passámos no Leroy Merlin para escolher puxadores para as portas.

Mantendo a nossa estratégia até aqui – gastar dinheiro em coisas de qualidade quando vale mesmo a pena (eg., torneiras), poupar dinheiro em coisas menos importantes e fáceis de substituir, caso algo corra mal – conseguimos os 11 puxadores por pouco mais de 100 euros.

A nossa estratégia é razoavelmente fácil de seguir, porque gostamos de coisas simples e discretas e as coisas mais decoradas são as mais caras. No entanto, temos uma certa pontaria para dizer “este é giro”, seguido de “custa 700 euros”.

Comprámos puxadores Portugueses, da Tupai que tem um site (tupai.pt), ao qual, infelizmente, não consigo aceder. Mas são puxadores muito simples, direitos com fechadura separada e ainda por cima estavam em promoção.

Continua tudo a andar bem na casa, agora um bocadinho menos dramático, sobretudo porque está a ser feito muito trabalho de alisar paredes, que quase não se nota enquanto não está acabado. Se tudo correr bem, em breve haverá novo pico de novidades com a chegada da banheira, azulejos para casa de banho grande, tecto falso para o hall e corredor e os caixotes dos móveis da cozinha.

Como sempre, as fotos estão disponíveis. Have fun.

Tags

. . . .

Deixar comentário. Permalink.

20 Responses to “Cozinhas e outros detalhes”

  1. João Lúcio says:

    Isso é que é pensar nas coisas. Só mudava a máquina da loiça com o lava-loiças para aumentar a área de trabalho ao lado da placa. De resto supimpa, tirando o vermelho mas isso é gosto pessoal. :)

    • Sim, era uma ideia. Eu segui um esquema básico que me foi dado pelo empreiteiro, não mexi na colocação do lava-loiça porque pensei que podia ter a ver com a saída de esgoto. Afinal, agora que está tudo partido, o esgoto é na outra ponta da parede :)

  2. Moika says:

    Não comprem uma cozinha vermelha.Já não está na moda e vocês vão cansar-se… A minha prima trabalha numa empresa de cozinhas e conta-me estas coisas. :D

    De resto,acho que o desenho está porreiro. :)

  3. Ana Nihil says:

    Fizeram bem em optar pelo cinzento, o branco é uma treta que se suja hiper facilmente, aí está coisa que também escolheria outra cor…

  4. OSM says:

    A minha cozinha tem uma configuração semelhante a tua, e posso dizer-te por experiência própria, que não percebo a mania de colocar equipamentos que produzem muito calor (forno) junto a equipamentos de frio (frigorifico). Assim recomendo que:
    - Não fassas isso (já troquei 1 vez de frigorifico em 6 anos).
    - Se possível não “encastres” o frigorifico.

    • Bom, agradeço os conselhos, mas a cozinha já está quase pronta em termos de infra estrutura.

      O frigorífico não será propriamente encastrado, tem só um espaço para estar e o forno de encastrar não produz calor para os lados – tenho um na cozinha actual e pode estar a 250 graus que eu consigo abrir o armário do lado e colocar a mão na parede sem sentir calor. A coluna que leva o forno terá uma caixa de ar atrás, para ventilar e o forno está equipado com um sistema de arrefecimento rápido.

      O frigorífico também tem uma caixa de ar para ventilar atrás e por cima.

      Que marcas de frigorífico tens comprado, já agora?

      • OSM says:

        O que se estragou era um Balay. Pedi a um amigo que repara electrodomésticos uma opinião sobre a avaria. A avaria estava na rutura por ferrugem (propavelmente devido à condensação) de um dos tubos da parte frigorifica.
        Agora tenho um Teka que na altura tive que arranjar o mais rapidamente possível e que ajusta-se ao ‘buraco’ existente e à configuração da portas.
        Mas prontos, quis apenas partilhar a minha experiência negativa contigo demodo a pelo menos servir de aviso.

  5. outrosdias says:

    Parabéns pelas obras! Pelas fotos que tenho visto, está a ficar 5 estrelas :)
    Por coincidência, acabámos de comprar uma placa e um forno iguais aos que vocês adquiriram… e o exaustor é o de 70cm eheh. Depois de quase termos fechado o negócio com a Tergom (http://www.tergom.pt/), a ERComercial (http://www.ercomercial.com/) apresentou-nos um orçamento imbatível e pronto. Tirando umas peripécias com a entrega (viva a DHL!), tem corrido tudo bem (ainda nos falta receber outros dois electrodomésticos). E entre uma e outra loja, poupámos mais de 200€!
    Ah, uma dica/pergunta: deixaram pontos de água quente junto às máquinas de lavar roupa / loiça? A oferta de aparelhos com entrada bi-térmica ainda não é muita, mas nunca se sabe…
    Boa sorte!

    • Obrigado. Os pontos de água junto às máquinas de lavar e frigorífico são só frias, creio, mas posso ir verificar.

      No entanto…. não é um desperdício de energia estar a usar o esquentador para isso?

      • outrosdias says:

        Esquentador? Não… painéis solares :) Não sei como funciona nos prédios, mas no nosso caso, uma vez que estamos a construir uma moradia de raiz e agora é obrigatório instalar os ditos, sempre é uma forma de aproveitar o excesso de “energia” gerado no Verão. Mas nós só deixámos mesmo os pontos de água – a máquina da loiça que temos é das “antigas” e a da roupa que vamos comprar também não é bi-térmica. Um dia, quem sabe…

  6. fox88 says:

    olá pedro!

    não sei se ainda vou a tempo de dar uma dica para a zona das duas máquinas, vi noutro post que os esgotos foram abertos, mas não reparei se tinham sido concluídos.
    bem, fica a dica na mesma:
    na zona da parede onde levar as máquinas, pede ao empreiteiro para retirar um canudo de tijolo e para arrematar com massa fina (ou mesmo com azulejo, se levar nessa zona).
    justificação:
    a) as mangueiras de água e esgotos não ficam enrolados entre a parte de trás da máquina e a parede, logo não projectam a máquina para a frente, desalinhando-a do resto dos móveis;
    b) a máquina fica com menos superfícies encostadas às paredes, o que me parece ser vantajoso, por causa de humidades…

    por outro lado, percebi que atrás dessa parede é o futuro quarto da joana. hum… isto talvez coloque problemas de insonorização.
    fica a dica! ;)

    • Hum, pois, essas paredes já estão acabadas, mas as máquinas costumam ter um espaço atrás precisamente para passar os tubos e não ficarem encostadas à parede.

      Quanto ao ruído, não será particularmente grave, não somos muito adeptos daqueles ambientes super silenciosos para os bebés, caso contrário nunca se habituam a adormecer quando há algum ruído. Alguma calma, sim, mas silêncio absoluto não é necessário.

      Obrigado pela dica, de qualquer maneira vou falar com ele para ver como fica o alinhamento dos móveis com as máquinas.

Leave a Reply