Conversa de irmão

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

O Tiago demonstra o seu novo lançador de Hot Wheels e a Joana está desejosa de experimentar, mas ele, com a sua experiência diz-lhe, com um ar preocupado: “olha, Joana, lamento imenso, mas acho que não tens força para puxar a alavanca”.

(E não tem mesmo)

Comentar

Tags

O bom português

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Passaram dois anos desde que nos mudámos para a nossa actual morada, depois de muitos meses de obras que transformaram um verdadeiro pardieiro na nossa casa.
No geral, as obras correram muito bem, tendo em conta as histórias de terror que costumam acompanhar a frase “fiz umas obras lá em casa”, mas com o passar do tempo, fomos percebendo quais foram as coisas que ficara menos bem feitas. Até agora, nada de grave, tirando umas infiltrações a que vamos ter que nos resignar por vivermos num último andar.

Hoje, porém, dei com uma daquelas que para mim resume o espírito portuga na sua mais pura essência. Mais uma vez, nada de grave, mas valeu para um bom facepalm.

Desde o início que um foco de halogénio está fundido. Nunca me dei ao trabalho de o substituir, por pura preguiça e porque não fazia assim tanta falta na iluminação daquela zona. Mas hoje, munido de espírito natalício, ou algo do género, decidi que estava na altura.

Subi a um banco, tirei o arame e caiu-me a l̢mpada nas ṃos Рpor pouco, ṇo foi ao cḥo. Ṇo estava fundida, estava, apenas, completamente desligada do sistema.

Acontece que, naquele sítio, há um barrote de madeira por trás do tecto e o casquilho bate lá, impossibilitando a montagem daquele foco. Claro que a solução seria tapar aquele furo no pladur, fazer outro mais ao lado e montar o foco. Mas o desenrrascanso do electricista foi muito mais genial: empurrou o casquilho para dentro do tecto e montou a lâmpada no encaixe, como se nada fosse.

A isto, esta tão nobre atitude portuguesa chama-se “que sa foda!”. E pronto, olha… Eu ri-me, voltei a por tudo como estava e fui embrulhar prendas de Natal.

4 Comentários

Tags

O Tiago, as festas e outras coisas

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Tiago

Tiago

Na sexta-feira foi a última festa de Natal do Tiago, no pré-escolar. As festas diversas na escola não eram fáceis, o Tiago não gostava muito, participava pouco, apesar dos papéis já curtos que lhe eram dados. Muitas vezes, amuava e ficava sentado a um canto do palco.

Mas ultimamente, isso tinha vindo a melhorar, até que sexta-feira, o Tiago esteve em palco com toda a propriedade e orgulho. Falou alto, de cabeça levantada para projectar a voz. Quando uma amiga demorou a responder à educadora o nome do poema que iam dizer em conjunto, foi ele que se chegou à frente para colmatar o esquecimento.

Dançou, fez a sua mímica, disse as suas falas e não hesitou, não amuou, não se envergonhou.

Quando ele nasceu, este blog foi muito verboso, depois, ele foi crescendo e os posts foram desacelerando. Mas de vez em quando, sinto que é importante fazer um registo. E este é o registo de uma mudança fundamental. De um Tiago tímido e calado para um Tiago extrovertido e falador.

E a mudança nota-se todos os dias, como se exprime connosco, as histórias que inventa, as suas constantes brincadeiras com robots e naves espaciais, os desenhos baseados no Star Wars de que recentemente se tornou fã (sobretudo dos robots), ou em jogos e desenhos animados; custa a crer que há cerca de três anos estavamos preocupados porque ele dizia muito poucas palavras.

Com cinco anos, já não muito longe dos seis e da escola primária, o Tiago é carinhoso, é falador, imaginativo e preocupado com os que o rodeiam. É extremamente responsável e muito ciente das consequências das coisas. Ainda há um mês, quando partiu um braço, caído no chão a chorar com dores, o que se lhe ofereceu dizer foi “que parvo que eu fui, a culpa é minha!”. De um miúdo desta idade, eu esperaria algo como “não tive culpa, a cadeira escorregou!”.

Se magoa a irmã por acidente, geralmente chora mais que ela, tal é a preocupação. E aliás, o amor que tem pela irmã, que disfarça o melhor que pode, é provavelmente a sua mais nobre faceta. Sempre à distância, sempre reservadamente, certifica-se que a Joana está bem e não contém um sorriso quando ela consegue pequenas vitórias.

Toda a gente acha que os seus filhos são especiais. Toda a gente os acha únicos. Praticamente não valeria a pena dizer como único e especial é o Tiago, seria imediatamente invalidado pelo próximo pai ou mãe que aqui passasse, pensando que especial e único é o seu.

Mas o Tiago é especial e único. Nas coisas que diz, na energia que tem, até mesmo nas pequenas estranhezas que demonstra, nas ocasionais crises que tem. O Tiago continua, todos os dias, a ensinar-me a ser pai e a mostrar-me que vale sempre a pena mais um minuto, mais uma história, mais uma brincadeira e vale a pena continuar a olhar para o futuro, de alguma forma, de alguma maneira, com ou sem crises, com ou sem políticos e banqueiros, porque se todos formos um bocadinho mais como o Tiago, o mundo será de certeza um sítio melhor.

2 Comentários

Tags

Lombo de porco com farinheira

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Na semana passada decidi fazer um lombo com farinheira, por sugestão da Marta, lá no SAPO e como ficou bom e me pediram a receita, aqui vai.

Os ingredientes que usei foram:

  • Lombo de porco com 650 g
  • Uma farinheira
  • Massa de pimentão
  • Pimenta preta
  • Alho
  • Sal
  • Louro
  • Margarina
  • Whiskey

É muito simples. Basta pegar numa faca estreita e comprida e furar o lombo, longitudinalmente, de um lado ao outro. Depois, tira-se a pele à farinheira e enfia-se no buraco, de um lado ao outro. Eu parti a farinheira ao meio e enfiei cada metade de um dos lados. Fecha-se as pontas do lombo com palitos para a farinheira não sair para fora durante a cozedura.

Aquece-se o forno a 180 graus e deita-se um bocado de massa de pimentão, duas colheres de chá de sal, uma pitada de pimenta preta, duas ou três folhas de louro e três dentes de alho com casca para dentro de um almofariz e esmigalha-se e mistura-se tudo bem.

Na ausência de almofariz, pode deitar-se tudo numa tigela e desfazer com um garfo e misturar bem. Depois barra-se o lombo com a mistura, usando as mãos, tendo o cuidado de que fique tudo coberto de ambos os lados.

Coloca-se o lombo no centro de um tabuleiro de ir ao forno e rega-se com Whiskey, de forma a que o lombo fiquei bem molhado e sobre líquido suficiente para cobrir o fundo do tabuleiro que deve ser pouco maior que o lombo. Finalmente, põe-se margarina em cima da carne e leva-se ao forno durante uma hora a hora e meia, até estar bem dourarinho.

Na ausência de Whiskey ou não querendo gastar líquido tão precioso desta forma, vinho branco também é aceitável, embora o resultado final seja necessariamente diferente.

Espero que gostem, aqui fica a foto.

20121209-165911.jpg

Comentar

Tags

Wishlist

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Alguém que esteja a viver acima das suas possibilidades e me queira oferecer cenas no Natal, tem aqui a minha wishlist da Amazon.

Meh.

Um Comentário

Tags

Conversa de irmão

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

O Tiago demonstra o seu novo lançador de Hot Wheels e a Joana está desejosa de experimentar, mas ele, com a sua experiência diz-lhe, com um ar preocupado: “olha, Joana, lamento imenso, mas acho que não tens força para puxar a alavanca”. (E não tem mesmo)

Ler o resto

O bom português

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Passaram dois anos desde que nos mudámos para a nossa actual morada, depois de muitos meses de obras que transformaram um verdadeiro pardieiro na nossa casa. No geral, as obras correram muito bem, tendo em conta as histórias de terror que costumam acompanhar a frase “fiz umas obras lá em casa”, mas com o passar […]

Ler o resto

O Tiago, as festas e outras coisas

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Na sexta-feira foi a última festa de Natal do Tiago, no pré-escolar. As festas diversas na escola não eram fáceis, o Tiago não gostava muito, participava pouco, apesar dos papéis já curtos que lhe eram dados. Muitas vezes, amuava e ficava sentado a um canto do palco. Mas ultimamente, isso tinha vindo a melhorar, até […]

Ler o resto

Lombo de porco com farinheira

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Na semana passada decidi fazer um lombo com farinheira, por sugestão da Marta, lá no SAPO e como ficou bom e me pediram a receita, aqui vai. Os ingredientes que usei foram: Lombo de porco com 650 g Uma farinheira Massa de pimentão Pimenta preta Alho Sal Louro Margarina Whiskey É muito simples. Basta pegar […]

Ler o resto

Wishlist

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Alguém que esteja a viver acima das suas possibilidades e me queira oferecer cenas no Natal, tem aqui a minha wishlist da Amazon. Meh.

Ler o resto

Redes de Camaradas

 
Facebook
Twitter
Instagram