Actualização automóvel

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Para quem segue este blog, mas não me segue no Twitter ou Facebook, fica a novidade: meti a papelada para o crédito e dei sinal para um Mitsubishi ASX Invite 1.6 a gasolina. Foi na sexta-feira passada, depois de muitas contas, muito para-trás-e-para-a-frente e no final de uma negociação particularmente feliz que me permitiu ir para o carro que eu queria em vez de para a segunda escolha.

No final de Junho vi um ASX pela primeira vez. Confesso que nem me tinha apercebido que era o carro da famigerada campanha da Mitsubishi com o URL errado nos outdoors e nunca tinha visto nenhum a circular (aliás, até agora, além do que eu conduzi no test drive, só vi mais um). Nesse dia, gostei imediatamente do carro e estando o Mercedes com 18 anos e vários problemas, meti na cabeça que lá para 2012 havia de tentar comprar um. Afinal, a coisa antecipou-se e com 500 euros, sinalizei a versão de entrada, que ficarei a pagar, a crédito, durante a próxima década.

O carro, é precisamente, este:

Mitsubishi ASX Invite

Não vou contar já a história toda de como tomei a decisão final, porque a máxima it ain’t over until the fat lady sings aplica-se sempre e essa história fica para quando tiver a chave do carro na mão, mas até lá, ficam as características, para quem tiver curiosidade sobre o assunto:

O modelo que comprei é de tracção dianteira, a gasolina, como já disse e o motor de 1.6 litros debita 117 cavalos às 6 mil rotações com um binário máximo de 154 Nm às 4 mil.

É um motor de 4 cilindros em linha DOHC MIVEC com 16 válvulas, injecção electrónica multi-ponto e uma caixa manual de cinco velocidades (o modelo diesel tem 6). A velocidade máxima anunciada é de 183 km/h com uma aceleração dos 0 aos 100 em 11,4 segundos.

Em termos de consumos, o que a marca anuncia é 4,9 l/100 km para percurso em estrada, 7,5 para percurso urbano e 5,9 para percurso misto. Aos consumos ajudará a funcionalidade AS&G (auto stop & go), que desliga o motor quando o automóvel pára e o condutor o coloca em ponto morto, voltando a arrancar, quando o pé é colocado na embraiagem ou no caso de necessidade energética (eg, o ar condicionado a funcionar fará com que o motor acabe por arrancar novamente ao fim de uns minutos, mesmo que a embraiagem não seja pressionada).

O carro vem equipado com pneus 215/65 em jantes de liga leve de 16 polegadas (o modelo acima tem jantes de 17).

Quanto a equipamento e no que toca a ajudas à condução e segurança, o carro tem controlo de estabilidade e tracção, ABS com EBD e assistência de travagem e um sistema de ajuda de arranque em subida (mantém o carro estável quando se passa do travão para o acelerador para arrancar numa subida).

Tem isofix, bancos rebatíveis assimetricamente e uma portinhola no meio dos assentos traseiros para passar objectos compridos da mala,  para o compartimento de passageiros. A mala tem 442 litros com os bancos não rebatidos e a chapeleira colocada, até 1169 litros, com bancos rebatidos e até ao tecto.

Os faróis são de halogénio (xénon na versão acima) e inclui faróis de nevoeiro. Sensores de luz e chuva são standard em toda a gama.

O volante é ajustavel em altura e profundidade e tem comandos do rádio e do cruise control (e do sistema de handsfree bluetooth, na versão acima). Há uma entrada USB compatível com devices Apple e uma tomada stereo RCA para áudio, bem como duas tomadas tipo isqueiro, de 12 v.

No que toca ao áudio, além dos inputs já referidos (o USB compatível Apple, permite controlar um iPod com os comandos do volante), há um rádio, leitor de CD e MP3 e 6 colunas distribuídas pela frente e trás. O modelo de topo (há 3 níveis de equipamento), inclui um sistema Rockford Fosgate com 710 watt e 8 colunas + subwoofer.

Finalmente, os vidros são eléctricos, com opção de segurança para crianças, os espelhos exteriores são igualmente eléctricos, mas nesta versão não recolhem e, claro, tem ar condicionado, automático que também serve para refrigerar o porta luvas para se poder levar uma garrafinha de vodka para beber na viagem!

Tags

Deixar comentário. Permalink.

18 comentários a “Actualização automóvel”

  1. Joao says:

    Terei curiosidade em ler, aqui, sobre a manutenção. Conduzo um Mitsubishi Pajero que na marca recebe o que posso classificar como uma das piores manutenções que alguma vez vi. Desconfio que se trata de tratamento diferenciado por ser um carro de serviço de um cliente que a marca não deve ter em grande consideração, daí estar curioso para ver como corre a manutenção a um particular, que estimo ser bastante diferente.

    • Infelizmente, já ouvi falar muito mal da manutenção Mitsubishi, particularmente aqui em Almada.

      Confesso que isso me deixa muito apreensivo. Estou a pensar levar o carro à Mitsubishi da R. Andrade Corvo, em Lisboa, já que é perto de onde trabalho e a oficina tem bom aspecto. Onde levas o teu Pajero?

  2. asturmas says:

    O meu Mitsubishi Carisma sempre foi (agora já nao vai porque o carro já esta velho) à Univex em Chelas e fora os balurdios e todos os parafusos cobrados na factura nunca tivemos queixas de maior…

  3. asturmas says:

    PS. Não ias comprar em preto?

    • O Civic, que só havia em prateado, preto e vermelho, seria preto. O ASX fica bem porreiro neste cinzento “titânio”, que é um bocadinho mais escuro que o usual prata. Ainda pensei pedir preto (havia), mas acabámos os dois por preferir o cinza.

  4. hugocardoso says:

    Assim sendo, desejo muito sorte ao novo “membro” da família.

  5. Jorge Santos says:

    Boa noite Sr.Pedro,

    Acho o seu blog fantástico! Relativamente so ASX está satisfeito? Tenho um igual e vai fazer a primeira revisão na minha mão a dos dois anos ou 40.000KM. Sou de Lisboa e gostaria de saber se me pode recomendar, por favor, uma oficina para o fazer. E já agora recorda-se qual foi o valor da sua revisão dos 40.00KM.
    Agradeço a atenção dispensada e votos de continuidade.
    Cumprimentos.

    • Olá,

      Obrigado! Quando ao ASX estou muito satisfeito com ele, mas eu ando muito de transportes e embora já o tenha levado a uns passeios ao Gerês, Alentejo e Algarve, ainda nem 20 mil km tem. :-)

      Ainda assim, tenho feito revisão anual que anda por volta dos 260 euros. Costumo fazer na SGS Car, no Feijó, onde comprei o carro e não tenho razão de queixa. Fiz uma vez em Lisboa, numa Santogal que havia na R. Andrade Corvo, mas que entretanto fechou, pelo que não a posso recomendar.

      Acho que faz bem em guardar a revisão para 40 mil km ou dois anos, o carro porta-se muito bem e as revisões não são baratas.

  6. Jorge Santos says:

    Bom Dia!

    Obrigado pela sua resposta. O curioso é o negócio das oficinas. Repare bem nesta situação que estou a viver. Comprei o meu carro à Santogal e pedi um orçamento para a revisão do meu carro, para além de ser atendido por um recepcionista antipático e arrogante chamado Orlando na Mitsubishi de Sete Rios, o valor da revisão de tabela é de 360.00€. Telefonei para a Univex, fui atendido por um funcionário do mais atencioso e disponível que há, para além de vários esclarecimentos adicionais, informa-me que a revisão em causa, valor de tabela é de 250.00€ sem descontos ou campanhas. Isto é um ultraje! A Santogal tem muita imagem e marketing mas à custa da ignorância e generosidade dos clientes. Obrigado uma vez mais pelo feed back.

Deixar um comentário

Redes de Camaradas

 
Facebook
Twitter
Instagram