Nip Tuck 4

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Nip Tuck

Christian Troy e Sean McNamara, os personagens principais de Nip/Tuck

Acabámos agora mesmo de ver a season 4 do Nip Tuck, essencialmente, a série mais kinky desta última leva de séries de TV de alta qualidade.

A season 4 é mais suave que a 3 e também mais humana, mas nem por isso menos potente. Esta não é uma série para tenrinhos: entre as cenas de cirurgia realistas e de sexo explícito, a violência quase não se nota, excepto, claro, a carrada de socos emocionais e pontapés psicológicos que os episódios vão atirando na nossa direcção.

Faltavam ainda algumas coisas no corolário do Nip Tuck e a season 4 trata disso (spoilers daqui para a frente): sexo com anões, sexo com mulheres grávidas (mais do que uma), religião (cientologia, neste caso) e relações inter-raciais. Continua a droga, promiscuidade, adultério, assassínio e cirurgia plástica, claro.

Esta season não bate – nem tenta – a kinkiness da season 3, mas não é uma season pior por isso. É equilibrada por bons episódios stand-alone e episódios para dar continuidade às múltiplas histórias desta season, bem como a pontas soltas de seasons anteriores.

No fim, todas as linhas narrativas que vinham de trás são fechadas e o futuro fica em aberto, noutra cidade – LA – para a season 5 desta excelente série. E é por séries como Nip Tuck – adulta e (praticamente) sem censura – que torço sempre o nariz quando alguém diz que Lost é a melhor série de sempre.

Tags

Deixar comentário. Permalink.

5 comentários a “Nip Tuck 4”

  1. Joe says:

    Tens que ver que Lost é de um canal livre (ABC) logo não pode ser mais ousada e adulta que Nip/Tuck que é de um canal de cabo (F/X) onde há muita mais liberdade para os escritores.Sugiro-te Entourage, provavelmente a melhor série da HBO da actualidade, agora que já acabou Sopranos e Rome. Já agora, existe uma série da F/X que é melhor que Nip/Tuck, chama-se Rescue Me e é mais intensa e consegue surpreender como poucas, às vezes alguns acontecimento são como murros no estomago.

  2. Dee says:

    Pedro, ignora a sugestão anterior. O Rescue me é uma lamechice pegada sobre como os bombeiros de NY pós 11 de Setembro são os maiores herois do mundo e a telenovela das suas vidas pessoais, à boa maneira americana. Eu até comecei a ver com muito boa vontade porque sempre gostei do Dennis Leary mas fartei-me muito rapidamente, tal era o enjoo. E o meu estomago aguenta muita coisa. Mesmo que tenha melhorado muito desde os primeiros episódios, comparar aquilo com o Nip/Tuck é quase insultuoso.

  3. Joe says:

    Dalila Rescue Me é muita coisa mas não é lamechas e os bombeiros não são representados como heróis, sugiro que vejas mais alguns episódios antes de mandares essa opinião descabida. Como é que alguém pode ser retratado como herói quando farta-se de beber, violar a mulher e arranjar o assassinato da pessoa que atropela o filho. Esta série retrata os bombeiros como sendo humanos cheios de defeitos, mas nunca como herois, se tivesses visto as 3 seasons e meia sabias isso. E é uma série melhor que Nip/Tuck.

  4. Macaco says:

    Quando é que acaba esta conversa da série que é melhor que a outra? Ao fim e ao cabo não me fiz entender: não se pode chegar e declarar que uma série é melhor, porque há séries diferentes, com constrangimentos diferentes e públicos diferentes.

    E Joe: a Dalila conhece-me há 20 anos, acredito que se ela me diz que não vou gostar de uma série… é porque não vou mesmo.

  5. Joe says:

    Macaco não está em causa se vais gostar ou não da série, o que está em causa é a analise da Dalila que está errada, a série não é nada como ela diz, apenas isso.

Responder a Macaco

Redes de Camaradas

 
Facebook
Twitter
Instagram