Macacos sem galho

Receita de pizza para máquinas de pão caseiras

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Experimentei, finalmente, usar a minha máquina de pão para fazer massa para depois cozer noutro sítio. Já há algum tempo que andava para experimentar fazer baguettes ou pizzas e decidi-me por estas últimas.

Posso dizer que correu bastante bem, foi o nosso jantar e estava óptimo. A experiência com a massa podia ter sido melhor, acho que ficou pouco homogénea e rasgou muito ao tender.

O resultado foram pizzas muito finas, com rebordo crocante e centro macio. Mas passemos à receita (para 5 pizzas médias)…

Para a massa usei os seguintes ingredientes:

  • 500 g de farinha de trigo sem fermento
  • 12 g de sal grosso (não ficou minimamente salgado)
  • 1 colher de chá de fermento de padeiro granulado
  • 6 cl de azeite
  • 40 cl de água gelada (fria, portanto, não é gelo)

E é tudo.

Deitei tudo isto para dentro da cuba da máquina de pão, coloquei no programa de massa e deixei-a trabalhar. Levou cerca de hora e meia, entre amassar e deixar repousar. Adicionei alguma farinha a olho.

Depois da massa pronta, enchi o balcão da cozinha de farinha e deitei a dita na pedra. Enfarinhei as mãos e dei mais uma tareia na massa, até estar satisfeito com a consistência. A seguir, peguei numa faca e cortei-a em 5 pedaços vagamente iguais.

As pizzas resultantes deram para que cada um de nós comesse metade e ficasse bem jantado. Para pizzas maiores há que cortar em menos de cinco porções e para menores… bom, parece-me evidente.

Untei uma folha de papel vegetal com azeite e bezuntei as mãos com mais um pouco do mesmo. Transformei cada pedaço de massa numa bola, que coloquei no papel vegetal. Cobri as cinco bolas com mais uma folha de papel vegetal e foi tudo para o frigorífico.

A coisa aguenta-se assim durante 3 dias. Se preferirem congelar a massa, pode fazer-se, cada bolinha num saco individual, duram três meses no congelador.

Mais tarde…

Duas horas antes de fazer o jantar, saquei duas bolinhas do frigo e espetei-as no balcão da cozinha (previamente enfarinhado). Espalmei cada uma delas até obter dois discos com cerca de 15 cm. Cobri com celofane e deixei ficar.

Quando se aproximou a hora de jantar liguei o forno no máximo (o meu vai até 250 graus), e comecei a estender a massa. Foi aqui que a porca torceu o rabo, porque a massa rasgou muito e tive que tentar várias vezes até conseguir uma pizza redondinha com uns 30 cm de diâmetro.

Claro que isto é tudo muito mais fácil usando o rolo da massa, mas eu quis usar as mãos. Para a segunda pizza usei o rolo e foi estupidamente mais fácil.

E está feita a parte da massa. Para a cobertura, usei molho para pizzas Mutti, que comprei no Jumbo, sem conhecer e gostei bastante – não é especialmente ácido para um molho pré-feito, enlatado – usei ainda queijo mozzarella fresco (1 bola, cortada em rodelas), azeitonas pretas, fiambre em cubos e óregãos.

Para dentro do forno com ela 10 minutos num prato de metal para pizzas levemente enfarinhado e está feito. Ficou delicioso. Jantámos e a seguir fiz outra para ficar para o almoço da Dee amanhã, com os mesmos ingredientes e ainda uns cogumelos.

Sem dúvida uma primeira experiência bem sucedida e a repetir.

[tags]culinária, receitas, cozinha, pizza, massa, máquina, pão[/tags]

Tags

. . . . . .

Deixar comentário. Permalink.

Leave a Reply

Temas

Categorias