Macacos sem galho

Asma?

Publicado em , por Pedro Couto e Santos

Há coisas estranhas… sempre tive rinite alérgica, crises de alergia, normalmente manifestada sob a forma de espirros. Alergia a pó, pólens, coisas assim. Ultimamente tenho tido sobretudo tosse e falta de ar. Nunca tinha tido antes.

Passei outra vez a noite a pé a fazer força para respirar e a assobiar por todos os lados com pieira. Acordei ainda com uns roncos estranhos na respiração e completamente estafado.

Entretanto melhorei e fui à tarde ter com os meus pais ao Posto. A minha mãe fez-me um aerossol, creio que just in case, porque na auscultação eu já não tinha nada. Como este episódio se tem vindo a repetir na última semana e a aumentar de gravidade, trouxe uma receita e fui comprar Oxis Turbohaler (cromissimo) e Combivent. Vou fazer um tratamento com o primeiro, juntamente com Claritine e ter o segundo à mão, para o caso de ter outra crise.

Que seca, a ultima coisa que queria era estar a tornar-me asmático. Bom, não será a última coisa que queria, mas estará bastante perto do fim da lista.

Já perto das cinco da tarde o Cunhado mandou-me uma msg a avisar que tinha arranjado uma placa RDIS. Veio cá ter e zarpámos para Setúbal onde está agora o Masmas já com ligação ao mundo exterior. O Cunhado montou tudo, incluindo servidor de mail com a pinta de sempre e ainda me deu umas lições. O mundo técnico continua a fascinar-me mas o meu cérebro tenta fugir sempre que ouço uma das lições do Cunhado, parece que as coisas estão mesmo no limiar da minha compreensão e estou a um milímetro de me tornar estúpido. Educativo.

Enfardámos mais duas pizzas da “Mozzarella”, uma pizzaria que recomendo a quem vá a Setúbal e goste de pizzas. Muito boas.

Voltámos para Almada onde a Dee estava um pouco aborrecida, naturalmente e já se tinha deitado. Fiquei a conversar com o Cunhado ainda mais umas horas. O tema desta noite foi sobretudo governos despóticos, invasão da privacidade, domínio mundial, censura ou ainda: “se o estado é o maior assassino da história da humanidade, com que autoridade persegue outros assassinos como criminosos?”.

Fiz a minha primeira dose de Oxis, aquilo é esotérico, porque não tem propelente (dir-se-à assim?) e somos nós que temos que inalar o pó, que não se sente sequer. Portanto temos que “acreditar” que acabámos de inalar aquilo.

O Cunhado bazou e eu fui dormir, completamente exausto da noite anterior.

Tags

. . . . . . .

Deixar comentário. Permalink.

Leave a Reply